segunda-feira, 24 de julho de 2017

Paris #3

Hoje vou falar sobre a coisa que mais desgostei em Paris: as pessoas. Fiquei totalmente chocada quando percebi que ninguém, mas mesmo ninguém sabe falar Inglês naquela cidade. Como é que isto é possível? Como é que o país mais visitado no mundo não fala Inglês? Não consigo entender.

Para vos dar um exemplo, perguntei a um senhor "sorry, can you tell me which way is the Eiffel Tower?" e ele ficou especado a olhar para mim. Como assim, senhor, nem percebe as palavras "Eiffel Tower"??? Como é que um país lotado de turistas consegue viver sem dizer uma palavra em Inglês? Nós tivemos sorte porque uma das nossas amigas falava Francês, de outra forma não sei como teríamos vivido três dias numa cidade que não fala Inglês. Mesmo as pessoas mais novas não sabem uma palavra… acho que isso foi o que me chocou mais. Pessoas com a minha idade que só falam Francês e nem sequer percebem Inglês… foi realmente uma má surpresa para mim.

Acho que o que eu disse na publicação anterior, aquilo sobre Paris ter falta de alma, está totalmente relacionado com o seu povo. O facto de eles nem fazerem um esforço para falar Inglês não ajuda a criar uma boa imagem da cidade. Eu ainda não percebo como é que é possível um país imensamente turístico viver assim. É muito estranho.

Eu espero, para o bem de Paris e para o bem dos turistas, que os Franceses comecem a aprender Inglês. Não é assim tão difícil, pessoas!

Para concluir sobre Paris… já falei da cidade, do seu povo, os monumentos incríveis. Contudo, há outra coisa que marca a cidade: o terrorismo. Vivendo em Portugal e já tendo vivido numa cidade pequena na Holanda, nunca senti muito o problema do terrorismo. Claro, vejo as notícias e toca-me sempre, mas nunca "senti na pele" (felizmente!). No entanto, em Paris eu senti um pouco o ambiente "do terror". Vimos polícias em todo o lado, mas não aqueles polícias que eu, pelo menos, estou habituada a ver. Eram do exército, tinham armas enormes e estavam sempre alertas ao que se passava à sua volta. Estavam mais concentrados na zona da Torre Eiffel, mas em todo o lado na cidade conseguíamos vê-los, incluindo em todas as estações de metro.

Infelizmente, vivemos num tempo em que não sabemos se estamos seguros à beira das pessoas. Quando eu estava lá, em Paris, pensei muitas vezes "e se alguém explode uma bomba agora? Aqui?". É uma coisa involuntária de se pensar, claro, era algo que eu não conseguia evitar. No entanto, não aconteceu nada e não podemos, nunca, deixarmo-nos levar pelo medo!

Agora, em cada cidade que vou penso para mim própria: "Imagino-me a viver aqui?". Para Paris, nem preciso de pensar muito: a resposta é não. É uma cidade bonita, sim, mas é sempre tão movimentada e sem alma… É uma cidade boa para visitar, com todos aqueles monumentos e, sobretudo, toda a arte e cultura que emana. Talvez daqui a dez anos a minha resposta seja diferente, quem sabe…

O assunto Paris está encerrado; a próxima publicação vai ser sobre Bruxelas!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Leituras Desassossegadas #20

Crónica de uma Morte Anunciada – Gabriel García Márquez «Vítima da denúncia falaciosa de uma mulher repudiada na noite de núpcias, o jo...