quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Citizenfour - Movie36

Citizenfour é um documentário, realizado por Laura Poitras, filmado em Hong Kong depois de Laura e o jornalista Gleen Greewald receberem vários emails criptografados assinados pelo nome Citizenfour. Foi num quarto de hotel em Hong Kong, durante oito dias, que Snowden revelou a Laura e a Glenn, e depois ao mundo, detalhes de um sistema de vigilância global e sobre a actuação da NSA. Foi com Edward Snowden que os cidadãos perceberam como os EUA e outras potências violam princípios fundamentais da democracia e do direito à privacidade e, pode-se mesmo dizer, que Snowden inaugurou uma nova forma de como nós, cidadãos, olhámos para os nossos governos.



Eu confesso que vi primeiro o filme Snowden, já há algum tempo e, por isso, já conhecia a história. No entanto, Citizenfour está na categoria de documentários e filmes biográficos, enquanto o Snowden está inserido na categoria drama. Aqui, já se vê a diferença entre os dois filmes: o Snowden baseia-se nos factos, sim, mas tem sempre aquela pitada mais dramática. Já no Citizenfour, vemos a história real, já que foi filmada enquanto acontecia. Ou seja, com este documentário vemos a história a decorrer e a tornar-se real.

Gosto imenso de ver filmes e séries (Black Mirror me espera) que tocam no assunto vigilância e direito à privacidade. Sou um bocado paranóica, é verdade (claro que a câmara do meu computador está tapada), mas não tanto por mim, visto que a minha vida não é nada interessante e ninguém quer saber, mas pelo direito à privacidade. Seja com que desculpa for (interesse nacional, proteger os cidadãos, segurança), ninguém ter o direito de invadir a nossa privacidade. Não se enganem: nós somos totalmente controlados. As nossas mensagens, chamadas, e-mails, até as televisões já gravam as nossas conversas… estamos constantemente a ser monitorizados.

Eu sei que nem toda a gente concorda com a forma como o Snowden decidiu expôr isto, mas eu agradeço e espero que existam mais Snowdens por aí. Nós precisamos de ser informados, precisamos de saber que a fronteira entre liberdade de expressão e vigilância é ainda mais fina do que aquilo que nós pensávamos.


O documentário começa desta forma, que me chamou logo à atenção:
"Laura,
At this stage,
I can offer nothing more than my word. I am a senior government employee in the intelligence community.
I hope you understand that contacting you is extremely high risk and you are willing to agree to the following precautions before I share more.
This will not be a waste of your time.
The following sounds complex but should only take minutes to complete for someone technical.
I would like to confirm out of email that the keys we exchanged were not intercepted and replaced by your surveillance.
Please confirm that no one has ever had a copy of your private key and that it uses a strong passphrase.
Assume your adversary is capable of one trillion guesses per second.
If the device you store the private key and enter your passphrase on has been hacked, it is trivial to decrypt our communications.
Understand that the above steps are not bulletproof and are intended only to give us breathing room.
In the end, if you publish the source material, I will likely be immediately implicated.
This must not deter you from releasing the information I will provide.
Thank you, and be careful.
Citizenfour."

P.S.: já falei sobre isto aqui no blogue, por isso não me alonguei muito. Se quiserem ver, podem carregar aqui.

Big brother is watching you (and all of us).


*Post inserido no projecto Movie36*
A criadora do projecto é a Carolayne "Lyne" Ramos, do blogue "Imperium"
A parceira oficial é a Sofia Costa Lima, do blogue "A Sofia World"
Os restantes participantes:
Inês Vivas, "VIVUS"
Vanessa Moreira, "Make it Flower"
Joana Almeida, "Twice Joaninha"
Joana Sousa, "Jiji"
Alice Ramires, "Senta-te e Respira"
Cherry, "Life of Cherry"
Sónia Pinto, "By the Library"
Francisca Gonçalves, "Apenas Francisca"
Carina Tomaz, "Discolored Winter"
Sofia Ferreira, "Por onde anda a Sofia"
Rosana Vieira, "Automatic Destiny"
Inês Pinto, "Wallflower"
Abby, "Simplicity"

2 comentários:

  1. Damn! Vai para a lista - se é a versão "real", mais curiosa fico!

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, foi mesmo filmado enquanto acontecia! Incrível, mesmo!

      Beijinhos

      Eliminar

Leituras Desassossegadas #14

E Agora, Zé-Ninguém? – Hans Fallada «Alemanha, finais dos anos 20. Apesar da grave crise económica que afecta a vida de muita gente, Jo...