terça-feira, 27 de março de 2018

Bratislava #2

O Castelo de Bratislava, um dos ex-líbris da cidade, fica no alto de uma colina e a sua construção iniciou-se no século X. Chegar até ao Castelo não é nada fácil, visto que, como fica numa colina, tem de se subir muito para lá chegar (e é bastante puxado). No entanto, a vista compensa! Conseguimos ver a cidade toda lá de cima e, há quem diga, que dá até para ver a Áustria e a Hungria num dia límpido (através da torre). Claro que a vista seria melhor se o dia tivesse claro e o céu (e o Danúbio) azul, mas, como fui em Abril, já estava muito contentinha por não apanhar chuva.
Assim como a cidade, o Castelo também é estranho. Ao longe suscita o interesse a quem o vê (e dá para o ver de quase toda a cidade), mas quando o vemos de perto, pode-se dizer que não é nada demais. Contudo, vale a pena pela vista.



Como podem ver, o dia não estava nada bonito,
mas, pelo menos, não choveu!


Bratislava é uma cidade cheia de estátuas, que rapidamente se tornaram os pontos mais procurados e fotografados por quem visita a cidade. Um soldado de Napoleão apoiado no banco da praça, um fotógrafo paparazzi a espreitar numa esquina e um homem de cartola a fazer uma reverência são apenas alguns dos exemplos da irreverência local. Mas todos perdem em popularidade para o "Man at Work", que é, literalmente, um trabalhador em bronze a sair de uma tampa de esgoto. Há estátuas para todos os gostos e feitios, e são uma marca da cidade. 
Ao pesquisar sobre a cidade, encontrei informações que reza a lenda que o próprio Hans Christian Andersen, autor de livros infantis, considerou essa cidade um verdadeiro conto de fadas (e ele também tem a sua própria estátua em Bratislava).



Não tenha nenhuma foto desta (não sei porquê),
tive de googlar
Enquanto esperámos que fosse hora de ir embora, andámos a deambular pela cidade e descobrimos uma livraria incrível, cujo nome eu não faço ideia. Acho que ficámos por lá umas boas duas horas, mas não me lembro de ter dado pelo tempo a passar. Uma das coisas que mais gosto de fazer numa cidade é ir à procura das suas livrarias mais emblemáticas e "perder" lá um tempinho e foi exactamente o que fiz em Bratislava.


Parece que é assim que se diz Hogwarts em eslovaco...
E, pronto, o dia em Bratislava chegou ao fim! Como disse, Bratislava foi uma cidade estranha para mim, mas não é uma cidade para nunca mais voltar. Sem dúvida que merece uma segunda oportunidade, até porque não vi a famosa Blue Church. Já tenho uma boa razão para lá voltar!

Uma espécie de bússola que nos informa a
quantos quilómetros estamos de determinada cidade

Sem comentários:

Enviar um comentário

Leituras Desassossegadas #25

3 semanas. 4 livros. Todos inseridos no desafio Book Bingo Leituras ao Sol . Já escrevi sobre um deles - V ozes de Chernobyl  - e hoje venh...