segunda-feira, 15 de outubro de 2018

As séries que ando a ver #4

Agora que já estou mais ou menos habituada ao mundo do trabalho e já tenho as minhas rotinas, já me consigo organizar melhor e fazer com que o meu dia tenha, de facto, 24 horas bem-aproveitadas. Já tenho mais tempo para mim, vou ver se começo a fazer exercício físico, e voltei a ter tempo para ver séries. É especialmente ao fim-de-semana que eu aproveito para aviar uns quantos episódios (ou uma temporada mesmo) e, desta forma, consegui trazer de volta a rubrica As séries que ando a ver (podem ver as outras publicações aqui, aqui e aqui). Destas quatro séries, três voltaram em finais de Setembro e Preacher era daquelas que tinha em atraso há uma vida.

Preacher – "Jesse Custer é um ex-pastor que foi possuído por uma entidade chamada Génesis, que fugiu do Paraíso e está a ser procurada pelos anjos. Quando Jesse e Génesis se tornam um só, os anjos enviam o Saint of Killers, um matador do Século XIX, para persegui-lo."
Que série esta, senhores! Muito forte a nível de imagens, por isso, não recomendável a pessoas mais sensíveis. Humor, acção, violência, uma boa dose de sátira e crítica social. Para além do Jesse, as outras duas personagens principais – Tulip O'Hare e Cassidy – merecem todo o destaque, já que são eles que dão muita vida à série.


Empire – "Lucious Lyon é o CEO da Empire Entertainment e um ex-delinquente com um reino incontestado há anos. Mas tudo muda quando descobre que tem uma doença que o vai deixar incapacitado num prazo de três anos. Assim, tem de preparar um dos seus três filhos para o substituir na sua posição de poder, sem destruir a sua já fragilizada família. À medida que Lucious prepara os seus filhos, os seus planos são colocados em risco pela sua ex-mulher, Cookie, que surge sete anos mais cedo da prisão onde passou quase duas décadas. Destemida, ela vê-se como uma sacrificada que construiu um império com Lucious e que acartou com as culpas da venda das drogas que financiaram inicialmente a carreira de Lucious."
Músicas incríveis, poderosas, que nos fazem chorar, dançar, rir. As primeiras duas temporadas foram muito boas, depois o nível começou a piorar. No entanto, eu gosto tanto das músicas que foram criadas ao longo da série que não consigo desistir dela. Estou aqui a torcer para que a quinta temporada volte à qualidade das primeiras. E, para além disso, só Empire é que tem a maravilhosa Cookie, das melhores personagens de sempre.


The Last Ship – "A missão deles é simples. Encontrar uma cura. Parar o vírus. Salvar o mundo. A série abre com uma grande catástrofe mundial: uma epidemia que matou 80% da população do planeta. Pela sua localização durante o surto, a tripulação de um navio de guerra da marinha sobrevive à dizimação e agora deve encontrar uma maneira de salvar a humanidade da extinção."
Assim como Empire, as primeiras duas temporadas são incríveis, e depois o nível começa a descer. Já gostei muito da série, agora só estou aqui a pedir para que não a estraguem ainda mais.


The Good Doctor – "The Good Doctor traz-nos a vida de Shaun Murphy, um jovem cirurgião que sofre de autismo e da síndrome de Savant, conhecida também como a "síndrome do sábio", uma doença que dificulta o relacionamento com os outros, e que também lhe permite desenvolver habilidades mentais prodigiosas, como é o caso da sua extraordinária memória. Apesar de sofrer uma infância complicada, torna-se num médico bem-sucedido e talentoso. As suas virtudes fizeram com que fosse contratado pelo doutor Aaron Glassman na unidade de cirurgia pediátrica do prestigioso San José St. Bonaventure Hospital. No entanto, nem todos os seus colegas de profissão estão de acordo com a decisão de ter na equipa um médico com autismo."
A seguir a This Is Us, a série que mais me fez chorar. Logo no primeiro episódio, acho que aos 15 minutos já tinha criado um oceano inteiro. Adoro esta série, o Freddie Highmore é um actor fenomenal e diferencia-se de todas as outras séries de hospitais por demonstrar que o autismo não torna alguém menos capaz de exercer uma profissão tão sob pressão, como é ser médico. Para além disso, o Nicholas Gonzalez faz parte do elenco (se não sabem quem é, procurem. Vale bem a pena). Série incrível!



Sem comentários:

Enviar um comentário

Pensamentos Aleatórios #9

Viciadíssima em Elite . Vi hoje o primeiro episódio por acaso, e duvido que chegue ao fim do dia sem a temporada vista. Quando estreou, e ...